_AMOR, FLOR, VERDURA, PALAVRA, TUDO É SEMENTE!

_VIDA, HORTA, JARDINAGEM,

PROSA E POEMA:

PALAVRA ESCRITA E SEMEADA...

SEMPRE O MESMO PRINCÍPIO

GENEROSO DA SEMENTE.



Histórico e registro do projeto de criação e transformação de um quintal, hoje com horta, pomar e jardim, que já foi um grande monte de entulhos, mas que está se revelando um pedacinho do paraíso.
Verifique o "Antes e o depois" nos primeiros posts... Acredite... Aconteceu...
O possível se faz agora, o impossível demora um pouquinho mais...
De quebra vão alguns textos,receitas,meditações, artigos e poemas, semeados entre flores e verduras...
Que mistura...

Os textos e fotos são de própria autoria, aqueles que não o forem, trarão referência do autor.
Nossas imagens não deverão ser usadas para qualquer tipo de promoção de cunho comercial sob pena de responsabilização legal. Grata.


"Existe duas maneiras de ver o mundo: A primeira é que não existe milagres.
A segunda é que tudo é milagre."
Albert Einstein

Além das experiências em nosso quintalzinho, agregamos posts de quintais de amigos em: Visitando outros quintais.

Em Marcadores,
acesse
o Índice Alfabético Remissivo com todos os assuntos.

sábado, 12 de maio de 2012

Silva ou amora silvestre

Apresentamos aqui a experiência de domesticar um pé de amora selvagem trazida
de presente pelos passarinhos. Quase nem se percebe quando nasce, mas, se não 
arrancamos logo teremos um grande espinheiro no meio do canteiro de alfaces.
Resolvemos transplantar uma muda destas para um dos canteiros verticais
e acompanhamos com carinho e atenção seu crescimento, colocando os limites 
necessários.


Colocamos três mudas a princípio, mas, logo percebemos que uma muda era mais do que 
suficiente, por causa do rápido desenvolvimento da planta.


Em uns três meses já estava tão grande a silva, que foi preciso podá-la em rama única 
e conduzi-la tutoreada em um dos arcos da cobertura da horta.


Medimos o seu desenvolvimento e, em pouco tempo a rama principal chegou a três metros.


Mas, o frio chegou e foi preciso colocar a lona plástica sobre a horta, já para prevenir
a chegada de geadas. Não teve como deixar a rama da amoreira do mato para fora da estufa,
tivemos que colocar o plástico sobre ela. Pensamos que a planta, rústica,   iria sofrer com as
 mudanças, mas, para nossa surpresa, descobrimos que ela gostou muito do ambiente de estufa.


O desenvolvimento da amoreira foi surpreendente no ambiente da estufa.


Sua rama ficou mais maleável e seus espinhos menos agressivos, mais tenros.


Como a amora silvestre é uma rosácea, da família das rosas mesmo, ficou parecida com
uma imensa roseira.


Foi necessário dobrar a rama e conduzi-la sobre si mesma , para evitar que invadisse
a passagem, ferindo alguém com seus espinhos. Aqui a rama já chega a us quatro
metros, aproximadamente.

A amoreira silvestre tutoreada sobre si mesma, como um cordão torcido.


Já dentro da estufa a brotação acelerou e já aparecem os primeiros botões florais.

Nas pontas das ramas já despontam as flores,  com minúsculos botões, muito parecidos
com botões de roseira.

Esperamos ansiosos pelas flores e pelas amoras, e esta safra nem vamos dividir 
com os passarinhos, pois,  a produção virá sob a proteção da estufa da horta.



Registramos aqui as fotos do desenvolvimento doméstico em estufa, da amora silvestre ou
simplesmente silva. As fotos abaixo foram  tiradas dia 13.06.2012, uns seis meses depois que
a muda foi transplantada para este canteiro vertical. Observe que já temos frutos. Tivemos
visitas de abelhas, mesmo estando a horta coberta com nossa estufa caseira.As flores da amora
são muito atrativas para as abelhas, garantindo a polinização.

As amoras ainda estão verdes, mas, sob liberdade vigiada. Não vemos a hora de saboreá-las.

Voltaremos a fotografar as frutas maduras, antes de serem devoradas...até...


Hoje é 26 de setembro de 2012 e temos cachos e mais cachos de amoras maduras e
 ainda em maturação como você pode ver abaixo:












       Com licença, agora vamos colher as amoras maduras, antes que se percam...

17 comentários:

  1. Gostei desta apresentação e foi muito util para mim, pois penso produizir algumas. OBRIGADO.
    A. Silva.

    ResponderExcluir
  2. Retorne a esta postagem. Iremos atualizá-la com receitas de amora silvestre que experimentamos na alta produção deste pé. Visualize o que se pode inventar com esta amora do mato. Aguarde.

    ResponderExcluir
  3. Gostei muito da postagem. Tenho uma amoreira e não sabia como proceder. Obrigada!

    ResponderExcluir
  4. Gostaria de receber informações sobre os benefícios desta amora para nossa saúde. Obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cristina, não tenho autoridade para indicar os usos medicinais. Mas, pesquise sobre os benefícios do chá de folha de amora branca. Encontrei na internet testemunhos interessantes sobre seu uso. Principalmente o de origem japonesa. Eu mesma plantei um pé de amora branca para meu chazinho. Boa pesquisa. Abraço.

      Excluir
    2. Observação, o tipo de amora silva deste post usamos os frutos e não as folhas. Os frutos lembram a aparência de uma framboesa.

      Excluir
  5. Gostaria de adquirir sementes de amora silvestre.
    preciso de informação de onde poderia conseguir.
    Grata
    Célia Pereira

    ResponderExcluir
  6. tenho algumas mudinhas e saio plantando por onde passo , quem quiser falar a respeito desta delicia de frutinhas eu estou no face como IGOMER RUOTULO

    ResponderExcluir
  7. plantei amoras silvestres enxertadas deram ramos maravilhos, flores porem os frutos parece que ficaram secas o que pode ser

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Provavelmente não teve chuva suficiente. Nesse caso a planta deve ser regada.

      Excluir
  8. Mas isso aí são framboesas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em minhas pesquisas encontrei que planta não é originária do Brasil. Encontrei-a também sob o nome de framboesa negra do Himalaia.

      Excluir
  9. Gostei muito queria umas sementinhas como faço pra adqueri-las

    ResponderExcluir
  10. Acho que esse pé é de framboesa do himalaia e não amora silvestre.

    ResponderExcluir
  11. É framboesa negra, possui um detalhe que não é vista nas amoras; o caule esbranquiçado ou azulado e o centro da fruta oco.

    ResponderExcluir
  12. temos aqui em casa e fazemos geléia agridoce com pimenta, fazemos mousse tambem... TUDO FICA DELICIOSO COM A FRAMBOESA NEGRA.

    ResponderExcluir

Por favor, registre aqui sua passagem e opinião.
Obrigada