_AMOR, FLOR, VERDURA, PALAVRA, TUDO É SEMENTE!

_VIDA, HORTA, JARDINAGEM,

PROSA E POEMA:

PALAVRA ESCRITA E SEMEADA...

SEMPRE O MESMO PRINCÍPIO

GENEROSO DA SEMENTE.



Histórico e registro do projeto de criação e transformação de um quintal, hoje com horta, pomar e jardim, que já foi um grande monte de entulhos, mas que está se revelando um pedacinho do paraíso.
Verifique o "Antes e o depois" nos primeiros posts... Acredite... Aconteceu...
O possível se faz agora, o impossível demora um pouquinho mais...
De quebra vão alguns textos,receitas,meditações, artigos e poemas, semeados entre flores e verduras...
Que mistura...

Os textos e fotos são de própria autoria, aqueles que não o forem, trarão referência do autor.
Nossas imagens não deverão ser usadas para qualquer tipo de promoção de cunho comercial sob pena de responsabilização legal. Grata.


"Existe duas maneiras de ver o mundo: A primeira é que não existe milagres.
A segunda é que tudo é milagre."
Albert Einstein

Além das experiências em nosso quintalzinho, agregamos posts de quintais de amigos em: Visitando outros quintais.

Em Marcadores,
acesse
o Índice Alfabético Remissivo com todos os assuntos.

sexta-feira, 24 de maio de 2013

O arco da nossa porta.

Ao abrirmos a porta, pela manhã, nosso dia tem sido saudado pelas flores do arco, 
que,como uma tiara de flores, tem alegrado nossa perspectiva em vermelho, 
ao fundo o caramanchão com seu colorido rosa e pink completam a paisagem.
Sempre me faz lembrar de uma música do Zé Geraldo: "No arco da porta de um dia":
ainda do tempo dos LPs...



Bougainvillea vermelha.
Bougainvillea pink.

 Podranea ricasoliana. ou sete léguas cor-de-rosa.

Como plantar gladíolos em estufa.

 Plantar gladíolos ou palma-de-Santa-Rita
 na estufa (em 2013)
Faremos uma reportagem com atualizações de postagem
 de acordo com o desenvolvimento das plantas.
(Confira nas fotos abaixo)

Depois da experiência de perdermos a florada de gladíolos nos ano passados, 2012, 
perdemos também os cormos ( comumente chamados de bulbos), atacados por fungos.
Nos informamos que não deveríamos plantar no mesmo canteiro que deu fungos,
por um período de cinco anos. Não tínhamos muita opção de escolha de outro
canteiro à plena luz do sol, por isso, pensamos em outra solução.
 Depois de conseguirmos novos cormos, decidimos por plantá-los em vasos e floreiras
sob a lona plástica que cobre a horta durante o inverno. Assim, esperamos que,
quando passar o frio mais intenso, poderemos mover as floreiras para um
local mais visível, para que possamos contemplá-las mais vezes ao passar.
Já fizemos a experiência de plantar gladíolos em fins de julho, começo de agosto
e tivemos uma boa florada. Alguns jardineiros aconselham a plantar um lote
 de cormos a cada quinze dias, para ter flores abrindo ao longo do ano,
mas, como gostamos de qualidade e quantidade, resolvemos plantá-los
todos ao mesmo tempo. Este ano temos várias outras cores: brancos,
verdes, amarelos, vermelhos, rosas e lilases e uma qualidade chamada Yester.
 Aguardemos suas coloridas manifestações.
 Este ano plantamos no dia 18 de maio, uma vez que nos despreocupamos das geadas,
por optarmos plantar sob a proteção da estufa.

Os cormos brotando após cinco dias do plantio. Foram plantados em 18 de maio e fotografados dia 23 .05. 2013.

Reciclamos um cesto plástico que se partiu no fundo. Colocamos uma camada de brita
no fundo para facilitar o escoamento da água . A tela de arame pretende servir de apoio
às compridas hastes e fazer um efeito decorativo, como se fosse um buquê.

Misturamos composto orgânico, da nossa compostagem, calcário, cama de aves e areia,  na terra que enche os vasos.

O suporte de bambu servirá para tutorear as hastes das palmas para que não verguem.
Nossa estufa improvisada, com a lona já usada no ano passado, apresenta uns furinhos,
mas, nem por isso deixa de proteger a horta do frrrrio das geadas.
Esta floreira ficava no alto e tinha malvas  coloridas plantadas, sofreu uma queda e partiu-se
por isso apresenta alguns remendos.

Bem fotogênicos os primeiros brotinhos, não?

Pretendemos fazer a reportagem fotográfica da florada 2013 à medida que as palmas
 forem se desenvolvendo. Acompanhe-nos nessa nossa novela.

Tanto o vaso como a floreira foram plantados no dia 18 de maio e fotografados com
uma brotação de cinco dias .


Fotos abaixo tiradas no dia 29 de maio
de 2013, com 11 dias de plantio dos cormos:








                Imagens  abaixo com a data  na legenda da foto:
                Com respectivamente 3 e 4 semanas.
Foto tirada em 04 de junho de 2013. Três semanas.

Foto tirada em 04 de junho de 2013. Três semanas.

Foto tirada em  11 de junho de 2013. Quatro semanas.

Foto tirada em 11 de junho de 2013. Quatro semanas.


Fotos abaixo tiradas em 18 de julho de 2013: 
Exatos dois meses do plantio.


As palmas dos gladíolos com um metro de altura. Os pés menores, à direita da floreira,
 que seriam palmas vermelhas, não se desenvolveram satisfatoriamente,
 nem chegam a meio metro. Elas parecem se ressentir com as geadas, mesmo
na estufa, talvez porque estejam muito próximos da lona plástica.
Pegam muito frio e muito sol.


Os pés de gladíolos plantados no vaso também se desenvolveram muito bem.
Estão com mais de um metro de altura. Vaso e floreira,ambos sob a
estufa da horta, protegidos dos excessos da chuva, vento e frio,
com uso de irrigação constante.
Conclusão da experiência: 
Seis meses depois, já em novembro, tivemos que arrancar os bulbos para secar e percebemos que tivemos uma boa reprodução de bulbos. Isto já é um grande consolo, pois o plantio precoce, em maio, confiando na proteção da estufa, não deu certo. O frio foi tão intenso, com temperaturas que chegaram aos três graus negativos e neve, que, mesmo na estufa, as folhas se queimaram e não houve formação da haste floral. Para ajudar, o sol forte durante os dias de inverno, aqueciam demais a estufa, ressecando em excesso as floreiras, mesmo sendo regadas duas vezes ao dia. Este ano as temperaturas têm sido atípicas. Estamos na primeira semana de novembro e temos temperaturas baixas, experimentamos oito graus Celsius, em plena primavera, e sem flores dos gladíolos. Infelizmente. 
Conselho: Se você mora num lugar quente, use e abuse dos canteiros de gladíolos. E faça-nos muita inveja contando quantas safras você consegue ao  longo do ano...

quinta-feira, 23 de maio de 2013

Hoje, o único tempo que existe...


Hoje

Hoje tenho tempo...
Tenho todo o tempo nas mãos...
Tempo para escrever...
Tempo para pensar...
Tempo para ler...
Tempo para plantar...
Já não pergunto sobre o tempo,
E os seus significados...
Hoje eu tenho tempo...
Para curtir os filhos...
Para cultivar uma flor,
Para sentir seu odor...
Hoje eu tenho tempo,
Para cuidar de mim,
Pra me pintar de carmim
No espelho de mim mesma...
Hoje tenho tempo...
De cultivar amigos...
Os novos e os antigos...
De abrir meus E-mails e meus inteiros...
Hoje tenho tempo...
Amanhã não sei,
Ele ainda nem chegou...
E se vir será um Presente!
Tem gente que nem sente,
Que o dia amanheceu...
Hoje tenho tempo...
De orar de um novo jeito,
Que alimenta a alma,
E liberta o coração...
Hoje fiz uma viagem,
Ao interior do meu ser,
Com paciência de lesma,
E, tendo encontrado a mim mesma...
Quase chorei de emoção...
Descobri que sou feliz
De expandir o coração...

Renata Claude-Saison  

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Os primeiros frutos do araçá.

Ainda não sabemos se o fruto  é vermelho ou amarelo, mas, algumas flores
seguraram e  os primeiros frutinhos do nosso pezinho de araçá prometem
que logo saberemos a sua cor e sabor.


Estufa para horta.


Já esticamos a lona plástica que havíamos guardado do ano passado. Um bambu grampeado 
nas laterais, ajuda a enrolar o plástico e guardá-lo para o ano seguinte. Só precisamos
da ajuda de um amigo, que, rapidinho, cobriu a horta na primeira previsão de geada.
Este ano aproveitamos a reserva de comprimento do plástico que ficava enroladinha
 e a desenrolamos toda, pois nossa estufa cresceu de tamanho. Dentro dela ficam
agora as frutíferas dos canteiros verticais, feitos de manilha plástica, os canteiros
 de verduras e legumes  e algumas floreiras.

Verduras novas plantadas no canteiro elevado da horta que foi invadido por sementes de
 tomates que vieram com o adubo orgânico da compostagem. Geralmente arrancamos os tomates que
 nascem como praga. Mas, este ano, devido aos preços do tomate, resolvemos dar uma chance
para as plantas.




Visão interna da estufa improvisada, com almeirões novos plantados na horta elevada. Até a primavera
este espaço exigirá irrigação, mas, para ajudar, temos coleta de água da chuva na caixa d'água azul
que pode ser vista ao fundo, sobre o estrado de madeira.

Couve de jardim.

Não temos tido bom desenvolvimento das couves neste quintal. Talvez porque os bambus suguem
os nutrientes  do solo que elas precisam. E como as couves não se dão muito bem em vasos,
estão sempre mirradas. Esta couve decorativa, que parece ter uma bainha de crochê nas bordas,
tem se desenvolvido mais que as couves comuns  neste solo. 



Begônia de metro.

Nossa begônia de metro já atingiu bem mais de um  metro e meio, e continua espichando...

Mamão na estufa.

Apesar do frio e geadas que já deram uma amostra do inverno
que vem por aí,  esperamos que a lona plástica da nossa estufa improvisada
proteja suficiente o pezinho de mamão que já está mostrando seus frutos.



Um pezinho de Urucum.

Depois de uma bandeja de sementes, somente um pezinho de  urucum
(ou colorau) sobreviveu e tem sido cuidado com muito carinho.

Inhame ou taro (Colocasia esculenta)

Plantamos um pezinho de inhame na horta, pegou bem 
e já está com um tubérculo, vamos esperar que fique bem gordinho.

Physalis, orgânica, sob a estufa da horta.


Delícia! Physalis madurinha!
Carregou tanto o pé de Physalis ou Juá-de-capote que nem esperamos encher a mão,
 comemos os frutos que vão amarelando, ali mesmo, na horta, colhidos na hora, 
com a boca cheia d'água, procurando bem se não há algum amarelinho escondido.
Ao cobrirmos a horta para enfrentar o frio, conseguimos proteger também esta
generosa frutífera. Depois que colocamos terra da compostagem no pé da planta
ela explodiu de frutinhos.


Uma raridade juntar as frutinhas maduras para a foto, todas são devoradas sem foto mesmo...

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Canteiro pendurado na parede.




Bate sol? Dá para plantar um belo canteiro!

Se você nos diz que não pode fazer horta ou jardim porque lhe falta
espaço, nós lhe respondemos que só lhe basta uma parede ensolarada.
Numa parede que bata sol, você pode, com certeza, plantar uma horta
ou um belo jardim. Basta selecionar vegetais que possam ser cultivados 
em vasos, como morangos, almeirão, alface, rúcula, agrião, mostarda,
até mesmo tomateiros. Quanto às plantas ornamentais para jardim, o 
interessante é que sejam de cores variadas para permitir belas bordaduras.
Já postamos aqui nossas experiências sobre nosso Canteiro de parede
quando estava ainda no início do plantio. Postamos agora a evolução do
crescimento das plantas. Usamos uma tela de arame para fixar os vasos
de garrafa pet como você pode verificar a seguir.

Clorófitos, dólar, grama preta, confete, coleus, incenso,peixinhos, para colorir o jardim.
A tela no projeto original, tinha uma lona plástica ao fundo, que foi tirada. Você pode
projetar o canteiro  numa parede, mesmo que a tela não fique vazada.
Misturando as cores para fazer contraste!

Lembre-se de furar as tampinhas das garrafas e colocar pedriscos no fundo para
um bom escoamento da água.


Clorófitos e incenso.


Contraste entre o confete rosa e o incenso variegado.

Uma barra de peixinho vinho e Coleus rosa.

Quando se desenvolverem, as folhagens farão uma forração como um tapete!

Os vasos devem ficar alinhados para pingar o excesso de água no vaso de baixo,
assim, você só molha a primeira fileira de cima , o resto vai pela gravidade.

Uma tela de arame, uma parede vazada da lavanderia que virou um jardim. 

Ao emborcar as garrafas cortadas sobre uma superfície quente (pode ser uma panela velha)
consegue-se este efeito arredondado que reforce as bordas.  Os buracos são feitos com um
ferro quente ou bico de solda. Um alicate ajuda a amarrar um arame de forma consistente.
Para obter uma irrigação despreocupada usamos mangueirinhas usadas para infusão de soro.
Pode ser comprada em lojas de material hospitalar.( R$ 0,70 cada). Prefira sem agulhas e
corte a mangueirinha no tamanho que precisar, compre daquelas que têm controle de fluxo.
Controle o fluxo para que os vasos fiquem sempre úmidos e lembre-se de manter as garrafas
com água suficiente.

Bordamos uma letra N em confete cor-de-rosa. Vai aparecer melhor quando as plantas crescerem mais.

       Boa sorte com seu canteiro de parede. Dúvidas? Pergunte no comentário abaixo!