_AMOR, FLOR, VERDURA, PALAVRA, TUDO É SEMENTE!

_VIDA, HORTA, JARDINAGEM,

PROSA E POEMA:

PALAVRA ESCRITA E SEMEADA...

SEMPRE O MESMO PRINCÍPIO

GENEROSO DA SEMENTE.



Histórico e registro do projeto de criação e transformação de um quintal, hoje com horta, pomar e jardim, que já foi um grande monte de entulhos, mas que está se revelando um pedacinho do paraíso.
Verifique o "Antes e o depois" nos primeiros posts... Acredite... Aconteceu...
O possível se faz agora, o impossível demora um pouquinho mais...
De quebra vão alguns textos,receitas,meditações, artigos e poemas, semeados entre flores e verduras...
Que mistura...

Os textos e fotos são de própria autoria, aqueles que não o forem, trarão referência do autor.
Nossas imagens não deverão ser usadas para qualquer tipo de promoção de cunho comercial sob pena de responsabilização legal. Grata.


"Existe duas maneiras de ver o mundo: A primeira é que não existe milagres.
A segunda é que tudo é milagre."
Albert Einstein

Além das experiências em nosso quintalzinho, agregamos posts de quintais de amigos em: Visitando outros quintais.

Em Marcadores,
acesse
o Índice Alfabético Remissivo com todos os assuntos.

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Kalanchoe daigremontiana



Kalanchoe daigremontiana  ou Mãe-de-milhares

Em certas épocas do ano, ou em determinadas condições de insolação ela produz
folhinhas pequeninas nas pontas das folhas. Caindo na terra estas minúsculas
mudinhas dão origem a outras plantas, daí o nome. Por alguma razão particular
quando ela floresce, parece que não se reproduz desta forma. Talvez porque a
sobrevivência da espécie já esteja garantida pelas sementes. É de difícil floração.
Talvez a tenhamos forçado a florir com uma poda incomum que realizamos.

É uma planta de uma haste só que cresce até não mais poder, pode passar de um metro,
e raramente floresce. Como as plantas que tínhamos aqui estavam ficando muito compridas,
podamos os ramos e replantamos. Parece que elas nem sentiram. pois logo depois vieram
as flores.No canto superior direito a Kalanchoe daigremontiana divide espaço com o gerânio
ascendente no velho carrinho de pedreiro reciclado em canteiro suspenso.
                                 












Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, registre aqui sua passagem e opinião.
Obrigada