_AMOR, FLOR, VERDURA, PALAVRA, TUDO É SEMENTE!

_VIDA, HORTA, JARDINAGEM,

PROSA E POEMA:

PALAVRA ESCRITA E SEMEADA...

SEMPRE O MESMO PRINCÍPIO

GENEROSO DA SEMENTE.



Histórico e registro do projeto de criação e transformação de um quintal, hoje com horta, pomar e jardim, que já foi um grande monte de entulhos, mas que está se revelando um pedacinho do paraíso.
Verifique o "Antes e o depois" nos primeiros posts... Acredite... Aconteceu...
O possível se faz agora, o impossível demora um pouquinho mais...
De quebra vão alguns textos,receitas,meditações, artigos e poemas, semeados entre flores e verduras...
Que mistura...

Os textos e fotos são de própria autoria, aqueles que não o forem, trarão referência do autor.
Nossas imagens não deverão ser usadas para qualquer tipo de promoção de cunho comercial sob pena de responsabilização legal. Grata.


"Existe duas maneiras de ver o mundo: A primeira é que não existe milagres.
A segunda é que tudo é milagre."
Albert Einstein

Além das experiências em nosso quintalzinho, agregamos posts de quintais de amigos em: Visitando outros quintais.

Em Marcadores,
acesse
o Índice Alfabético Remissivo com todos os assuntos.

domingo, 7 de dezembro de 2014

Rosa do Deserto.

Nossa mudinha de rosa do deserto parece que desta vez vai 
se desenvolvendo com saúde. Já tentamos cultivar esta planta antes,
mas, erramos a mão e molhamos demais. Morreu.O jeito foi 
deixar esta ao ar livre e molhá-la somente em caso se estiagem
prolongada. Parece que deu certo. Que venham as flores...

Um fungo estranho...

Parece uma bolinha laranja, quando tocado explode num líquido viscoso.
Este fungo nasceu numa das travessas de madeira que sustentam 
a horta elevada, bem em tempo de ser trocada, pois já está
apodrecendo... Foto aumentada...Eram menores
que um feijão comum. Você conhece? Se for o caso
contribua respondendo abaixo, no comentário. Obrigada...

Jade: Falso bonsai.

Ganhei uma muda de jade, um galhinho de uma 
 árvore plantada num grande vaso de barro.
De longe ela parecia um bonsai, moldado
com arte para enfeitar o jardim. Mas, era 
natural, sem nenhuma intervenção humana:
era simplesmente um pé de jade, uma suculenta.
Com o galho fiz uma composição 
com outras suculentas, grandes e minúsculas.
Conforme a planta se desenvolve, seus galhos
ficam retorcidos, como um bonsai.
As suculentas Echeveria, ou rosa-de-pedra,
e a minúscula cabelo-de-anjo, em detalhe
na foto abaixo. O galho de jade, no centro, se desenvolveu
sem pressa, demorou meses para soltar uma folha...

Detalhe aumentado da  suculenta cabelo-de-anjo.

domingo, 26 de outubro de 2014

Videira caseira...

Só pra vocês acompanharem a evolução da nossa videira que
superou todas as expectativas e está carregadinha de cachos...
Esperemos que vinguem com saúde...

Como atrair borboletas para seu quintal?

                               Simples... Plante flores...
                               Tenha muita paciência e espere,  elas virão...

                               Há três anos parecia impossível que, em tão pouco tempo, teríamos
                               uma variedade tão grande de plantas neste pequeno quintal. E hoje
                               o milagre das cores se apresenta diante de nossos olhos com uma
                               maravilhosa gama de nuances...  
                              O sentimento é de profunda e contínua gratidão...

                                (Flores que vieram de agosto a outubro de 2014 aqui no quintal.)
Nosso arco da porta de entrada floresceu e tem sido brindado com visitas
de varias borboletas, que nem sempre conseguimos fotografar...

A orquídea pingo de ouro plantada displicentemente no tronco de uma
samambaia xaxim floresceu para acolher quem chegava no nosso portão.

Não sei quantos ângulos diferentes do arco florido já foram fotografados...

Botão do hibisco rosa.

Até as flores do agrião viraram estrelas...

Hibisco rosa dobrado gi-gan-teee...

A penta rosa florida.

Íris azul. (Acaba ficando roxa na foto...)

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Maracujá de balde!

( Ou mamão com acne... e o luto do maracujá...)

Nosso cultivo de maracujás rendeu mais de cinquenta frutos! Este ano colhemos maracujás de balde...
Estamos bebendo os últimos...Chegamos a congelar a polpa para facilitar o preparo  do suco...
(Aqui dividimos o balde com a coleta do mamoeiro)

           Tivemos também um pezinho de mamão que se dignou a produzir, mas, o fruto veio todo
 manchadinho,como carinha de adolescente. Os mamões eram doces embora sua polpa
 fosse firme.Talvez tenha algum tratamento para o problema, pois já me disseram que
 é caso de cortar o mamoeiro, o que me deixaria penalizada, depois de ter cuidado tanto, 
cobrindo nas geadas, adubando e irrigando até que passasse dos dois metros de altura.
É raro encontrarmos mamoeiro produzindo por aqui, por causa do frio...

                                              Mas, voltando aos maracujás, tivemos alguns exemplares
                                               gigantes, de encher os olhos...

                                     Infelizmente cometemos um erro fatal, quando veio o jardineiro,
                                     no fim do inverno, quando fazemos as podas, escolhemos um dos
                                      pés e fizemos uma poda radical, pois havia ramas demais, escurecendo
                                      muito o quintal. Quando fomos verificar o outro pé, que seria poupado,
                                      simplesmente ele havia apodrecido nas raízes, estava mortinho...
                                      Resumo: toda a rama verde vinha do pé que foi cortado.
                                      O pezinho cortado chorou seiva quase uma semana, de tão vigoroso
                                      que era. Esperemos que, passado o luto, o maracujazeiro nos perdoe
                                      do engano e volte a brotar com saúde, nos presenteando com seus frutos.
                                      Em todo caso, sobrou mais um pé, no fundo do quintal, mas, ainda não
                                      produziu tando como este...
                                       

domingo, 14 de setembro de 2014

Videira em flor e o dilema do ipê rosa...

             Como eu já havia comentado na postagem anterior, parece que a natureza,
             aqui no nosso quintalzinho, anda meio indecisa. Normalmente acontece de,
             primeiro caírem todas as folhas do ipê rosa, então vêm as flores. Depois
             que estas caem, começam a nascer os brotos,  com folhinhas delicadas como
             se fossem pintadas à mão, tendo como cor de fundo o azul profundo do céu.
             Mas, este ano, de frio ameno e calor precoce, pudemos fotografar as flores
             ainda desabrochando entre folhas novas, como se fosse uma renda ou um lindo
             bordado.                  
                                                                         
            Também a videira, que já formou a rama no ano passado, parece que vai ser generosa
            nesta estação, pois, já se vestiu de brotos e  promessas de cachos de uvas.